O novo Ensino Médio tem como objetivo garantir o desenvolvimento de competências, habilidades e valores para formar gerações que saibam lidar com desafios pessoais, profissionais e globais.

Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM), os currículos escolares dessa etapa devem ser compostos por dois elementos principais:

  • a formação geral básica (Linguagens e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas) com carga horária total máxima de 1.800 horas;
  • os itinerários formativos (conjuntos de atividades que aprofundam áreas de conhecimento ou a formação técnica e profissional), com carga horária total mínima de 1.200 horas.

Esses itinerários substituem a distribuição do conteúdo das 13 disciplinas tradicionais que costumavam compor os três anos do ciclo do Ensino Médio. Eles têm o objetivo de aprofundar as aprendizagens, consolidar a formação integral dos estudantes, promover a incorporação de valores universais, como a ética, e desenvolver habilidades que permitam que os alunos tenham uma visão ampla de mundo e sejam capazes de tomar decisões dentro e fora da escola.

Os itinerários formativos se organizam a partir de quatro eixos estruturantes. Conheça cada um deles:

1. Investigação científica

Esse eixo estruturante dá ênfase em ampliar a capacidade de investigação e compreensão do estudante, ao aplicar o conhecimento sistematizado através de práticas e produções científicas. Com isso, busca trazer a pesquisa científica para o cotidiano do aluno e todos os conceitos que estão envolvidos na condução dela, iniciando pela formulação de uma hipótese para que, depois, seja feito um levantamento, testes e a interpretação dos resultados com a finalidade de solucionar diversos tipos de problemas.

É papel da escola oferecer as orientações necessárias para a condução da pesquisa e ensinar os alunos sobre como identificar fontes confiáveis para ter acesso a informação e o uso ético desses dados.

2. Processos criativos

Nesse eixo estruturante, os alunos são envolvidos na elaboração de projetos com foco na criatividade, que incluem a utilização de diferentes manifestações linguísticas, culturais e científicas.

O processo começa com a definição de um problema ou tema a ser abordado. Em seguida, é planejada uma resposta a ele, que pode ser um produto, uma intervenção artística, uma peça de comunicação, entre outras possibilidades.

3. Mediação e intervenção cultural

Nesse contexto, a ideia é oferecer aos alunos as ferramentas necessárias para promoverem transformações positivas na comunidade a partir do contato com projetos de mobilização e intervenções culturais e ambientais.

Isso deve funcionar a partir da constatação de um problema da comunidade a ser resolvido. Em seguida, é realizado um planejamento de um projeto social ou cultural que seja capaz de responder a essas necessidades, além de responder a eventuais conflitos que possam surgir.

4. Empreendedorismo

Esse eixo prevê estimular os alunos a criarem projetos pessoais a partir da identificação de desafios a serem vencidos, o planejamento de testes e o aprimoramento da ideia inicial.

O aluno passa a identificar aspirações pessoais que gostaria de transformar em um empreendimento, além de enfrentar desafios em relação às próprias capacidades e à receptividade do mundo externo.

Sabendo as características de cada um dos eixos estruturantes dos itinerários formativos do Ensino Médio, fica mais simples de entender as mudanças propostas pelo novo Ensino Médio. Agora é o momento de voltar a sua atenção para o seu planejamento pedagógico e fazer as adaptações necessárias.